sábado, 10 de março de 2012

Ex-prefeito e ex-vereador de Turmalina são condenados a 5 anos de prisão

Soelson Barbosa, já preso em 2007. Fonte imagem: Jornal Estado de Minas
O ex-prefeito e um ex-vereador da cidade de Turmalina, na Região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, foram condenados pela juíza Ana Paula Lobo de Freitas a cinco anos de prisão por associação em um esquema de corrupção.

Segundo os autos, em fevereiro de 2007, foi instaurado um processo de cassação do então prefeito municipal, Soelson Barbosa Araújo, após suspeita da participação dele em um esquema de corrupção. O ex-vereador Edi Pinheiro de Castro teria se comprometido a votar contra a cassação de Araújo.

Ex-Vereador Edi Pinheiro de Castro
Segundo a denúncia, uma outra pessoa enviada por Araújo teria procurado o ex-vereador e dois irmãos dele para apresentar as ofertas e as solicitações do então prefeito, que iria autorizar a execução de serviços de transporte público municipal das escolas e feirantes, e providenciar um imóvel e a quantia em dinheiro que totalizaria o montante de R$ 57 mil. Além disso, os três irmãos teriam solicitado empregos na administração pública municipal para parentes e R$ 10 mil para aquisição de um veículo.

A proposta foi repassada ao ex-prefeito, que marcou uma reunião. A entrega do dinheiro foi feita pessoalmente em um sítio de um dos irmãos do ex-vereador, em fevereiro de 2007.

Os outros suspeitos foram condenados a quatro anos e dois meses de prisão, em regime semiaberto, mas foram absolvidos do crime de formação de quadrilha.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, os condenados poderão recorrer em liberdade. O G1 não conseguiu localizar os envolvidos para comentar sobre o assunto.

Um comentário:

  1. injustiçado , estao fazendo com ele = era na ditadura

    ResponderExcluir

POLÍTICA DE COMENTÁRIOS DO MMC
1 – O MMC não publicará comentários ofensivos, que contenham termos de baixo calão ou que atinjam reputações pessoais. A livre manifestação do pensamento será garantida, mas não poderá atentar contra princípios éticos.
2 – Comentários anônimos serão aceitos, desde que observadas as ponderações acima expostas.
3 – Comentários que contenham ameaças aos colaboradores do MMC e a qualquer outro cidadão poderão ser denunciados ao Ministério Público.
4 – Caso algum comentário desrespeite as regras acima expostas o moderador poderá, se solicitado por e-mail, explicar os motivos pelos quais não foi publicado.
5 – Comentários com denúncias sem provas ou que reproduzam boatos não serão publicados, salvo se houver identificação do autor.
6 – Não serão publicados comentários que façam propaganda positiva ou negativa de representantes públicos, partidários e afins com objetivos eleitoreiros.
Em caso de qualquer dúvida, sugestão ou reclamação o e-mail do MMC é: movimentomudacapelinha@gmail.com